Menu
Gestão de Operações e
Serviços Industriais
Pós-Graduação 11ª Edição
close

Seminários

Indústria 4.0: O que significa? Desafios e Oportunidades

Moderador: Maria João Mortágua (Clique para ver CV)
Oradores a designar

Introdução

A quarta revolução industrial significa uma crescente digitalização, automatização e comunicação (“smartfactory”). A relevância da indústria 4.0 necessita de uma séria reflexão sobre o que realmente significa e qual o seu impacto, desafios e oportunidades. Este Seminário irá debater alguns temas-chave, com o objectivo principal de avaliar o potencial da Indústria 4.0 para as empresas.

Este seminário será moderado pela Coordenadora desta Pós-Graduação em Gestão de Operações e Serviços Industriais, Eng. Maria João Mortágua, responsável pela qualidade do programa A320Neo na Caetano Aeronautic – Grupo Salvador Caetano.

Oradores com vasta experiência no assunto serão convidados e os Alunos poderão expor as suas dúvidas, ideias e exemplos. O Seminário será um fórum de debate, para proporcionar uma visão holística sobre este importante tema.

O EMPREENDEDORISMO E AS CARREIRAS PROFISSIONAIS

Eng. Victor Sá Carneiro (Clique para ver CV)

Introdução

A gestão das carreiras profissionais encontram-se actualmente numa fase de elevada exigência tendo em conta a evolução e a competitividade do mercado de trabalho assim como a precariedade dos postos de trabalho independentemente da formação académica, do tipo ou dimensão das organizações.
A adicionar a esta problemática deverá levar-se em conta as grandes exigências de desempenho e de empreendedorismo pelo que os melhores preparados poderão alcançar melhores e mais duradouros sucessos.
Uma sociedade cada vez mais global e competitiva em que as fronteiras deixaram de ser um problema para a mobilidade profissional e em que o Empreendedorismo é cada vez mais valorizado há que reter como problemáticas não só as situações actuais mas sobretudo as do futuro em que as aposentações se apresentam mais tardias e com menores níveis remuneratórios.
Assim preparar o futuro através de estratégias adequadas das carreiras profissionais é cada vez mais uma premência que este seminário se propõe fazer reflectir.

Objetivos

No fim do seminário os formandos serão capazes de efectuar um balanço da sua carreira profissional e de decidir novas opções de carreira profissional seja no curto ou longo prazo.

Programa
  • Ciclo de vida das carreiras profissionais
  • Factores de sucesso das carreiras profissionais
  • Opções profissionais. Trabalho por conta própria e por conta de outrem
  • Vantagens e desvantagens das diferentes opções profissionais
  • Principais pilares de sucesso dos projectos empresariais
  • Oportunidades e novas profissões

Gestão do Tempo e do Stress

Dra. Lurdes Viana (Clique para ver CV)

Introdução

Todos as pessoas têm capacidade de pouparem entre cinco a dez horas por semana. Para atingirem esta meta é necessário disciplina e comprometimento com os princípios básicos da boa gestão do tempo. É importante identificar a quantidade de tempo que está sob o seu controlo e concentrar-se nas atividades mais lucrativas. Identifique o seu ciclo de energia pessoal, estabeleça objectivos e planeie. Analise o modo como utiliza o tempo e determine os elementos chave do seu trabalho, isole e trate os desperdiçadores do tempo. Ao refletir sobre estas questões o seu stress diminui, e o seu dia a dia flui de forma mais eficaz e eficiente.

Objetivos
  • Compreender os desafios da gestão do tempo e do stress que regem o dia a dia das organizações.
  • Identificar de que forma a melhoria da comunicação pode afetar a gestão do tempo e aumentar a sua produtividade.
  • Compreender os erros cometidos na gestão do tempo
  • Contemplar ações e técnicas de gestão do tempo
  • Identificar fatores stressores e ações de gestão do stress
Programa
  1. Identificar processos de Comunicação positiva
    • Como interagir assertivamente e de modo objetivo
    • Princípios da escuta ativa e ser eficaz e eficiente na comunicação.
  2. Princípios da gestão do tempo
    • Horário nobre
    • Método ABC e método UI, UNI, NUI e NUNI
    • Leis e princípios do tempo
    • Desperdiçadores de tempo e plano de ação para ultrapassar
    • Princípios da delegação.
  3. Gestão do stress
    • Tensão negativa, stress, burn out e workaholic – Quais as diferenças
    • Eustress e distress
    • Fatores stressantes, quantitativos e qualitativos do stress
    • Princípio dos 5’Ss
    • Plano de ação para evitar o stress
Métodos de exposição

Metodologia activa, com recurso a brainstorming e exercícios práticos em grupo.

PRODUCT LIFECYCLE MANAGEMENT (PLM)

Eng. Nelson Silveira (Clique para ver CV)

Introdução

A abordagem atual da gestão do ciclo de vida de um produto tem ganho um papel fundamental na competitividade das empresas, por um lado devido aos curtos ciclos de vida dos produtos, e por outro pelo fator de diferenciação e posicionamento do produto num mercado cada vez mais global e competitivo. As fases do ciclo de vida de um produto Introdução, Crescimento, Maturidade e Declínio serão alvo de análise e discussão, assim como a fase preliminar de conceção e desenvolvimento onde todo o processo criativo e organizativo começa. Num tempo em que se fala constantemente de Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) e onde metodologias como Lean ou SixSigma se direcionaram a montante (upstream) para melhorar resultados, torna-se fácil o verificar da importância da fase inicial de conceção do produto.

Objetivos

No final do Seminário os Formandos deverão ser capazes de:

  • Apreender o conceito geral de PLM e a sua importância no contexto atual
  • Perceber a importância do contributo nas equipas multidisciplinares
  • Ser capaz de usar algumas ferramentas informáticas potenciadoras da produtividade
  • Reconhecer as principais ferramentas e identificar as principais metodologias
Programa
  • PLM as Backbone to Industry 4.0
  • Product Data Management (PDM) e Ferramentas (CAx)
  • Design for Manufacture and Assembly (DFMA)
  • Lean Product and Process Development (LPPD)
  • Design For Six Sigma (DFSS)
  • Engineer To Order (ETO) and Concurrent Engineering(CE)
  • New Product Development and Introduction (NPDI)
  • Product Design (Bottom up Vs Top down)
  • Produtividade Pessoal, Produtividade das Equipas e Excelência das Organizações
  • Equipas Multidisciplinares e conceito Boundarylessness
  • Plataformas de colaboração online e cloud computing
  • Visual Thinking and Design Thinking

Sistemas Integrados de Gestão: Qualidade, Ambiente e Segurança - Referenciais: NP EN ISO 9001:2015; NP EN ISO 14001:2015; ISO 45001:2018

Eng. Luís Pimenta (Clique para ver CV)

Introdução

As Organizações sentem, de uma forma crescente, a necessidade de adequar os seus Sistemas de Gestão com vista a responder às exigências dos vários stakeholders.
Como consequência da necessidade de adequação destes referenciais normativos à realidade das organizações e às necessidades das partes interessadas, originou que esta alteração das normas origine uma aproximação ao modelo de gestão das organizações, independentemente do referencial base que lhe esteja associado (Qualidade, Ambiente, SST, Sistemas de informação….), criando para tal um fio condutor dentro das organizações.

Objetivos

No fim do Seminário, os Formandos serão capazes de:

  • Dotar os formandos com os conhecimentos e técnicas fundamentais sobre os princípios da implementação de sistemas integrados;
  • Conhecer e compreender o anexo SL, enquanto quadro geral dos sistemas de gestão ISO;
  • Interpretar as principais aspetos relevantes da Norma ISO 14001:2015 ;  ISO 9001:2015 e ISO 45001:2018;
  • Identificar o impacto e o potencial desenvolvimento da organização e dos seus processos.
Programa
  • Implementação sistemas integrados - Abordagem por processos;
  • A Estrutura de Alto Nível (Anexo SL);
  • Análise das clausulas / Requisitos relevantes nos três referenciais normativos;
  • Melhoria Continua;
  • Abordagem por processos;
  • Contexto da organização;
  • Pensamento baseado em riscos e oportunidades;
  • Partes interessadas;
  • Alterações na estrutura organizacional e documental da empresa;
  • Ciclo de vida do produto;
  • A Participação e consulta;
  • Casos Práticos.

Gestão de Conflitos

Eng. Lurdes Viana (Clique para ver CV)

Introdução

Um comportamento de influencia exige maturidade passando pelo controlo emocional com o objetivo de comunicar as nossas ideias e sentimentos ou defender os nossos legítimos direitos sem a intenção de ofender e com autoconfiança. Esta estratégia de comunicação assertiva de saber estar, ser e fazer tem por base algumas dicas importantes que favorecem a confiança na capacidade expressiva, potencia a auto-estima, contribui o bem-estar emocional e melhora a sua imagem social quer no plano individual ou em equipa e no tratamento construtivo de desacordos é fundamental para a satisfação pessoal e, essencialmente, para a eficiência organizacional.

Objetivos

Capacitar as pessoas participantes de técnicas de comunicação assertiva, com impacto nas suas relações laborais de em equipa. Aplicar técnicas de assertividade para a gestão eficaz de conflitos, evidenciando o controlo emocional através da análise transacional

No fim do Seminário, os Formandos serão capazes de:

  • Reconhecer características no cliente interno enquanto elemento impulsionador e gerador de emoções positivas no relacionamento com os clientes externos
  • Criar uma experiencia positiva no cliente.
  • Identificar o ciclo experiencial do cliente.
  • Identificar estratégias e técnicas de comunicação assertiva, que permita ao participante gerir conversas difíceis.
  • Identificar as características dos diferentes estilos comportamentais de comunicação interpessoal.
  • Identificar técnicas de autocontrolo e a autorregulação das emoções para a influencia positiva.
  • Identificar técnicas para lidar com os comportamentos negativos do outro.
Programa

Comunicação interpessoal eficaz e eficiente (atenda ao cérebro reptiliano)

  • Escuta ativa na comunicação
  • Estilos comunicacionais
  • A comunicação como objeto de dinamização de uma equipa de trabalho: barreiras da comunicação em equipa


Dimensões do comportamento assertivo

  • Técnicas verbais: Disco riscado, edredão e DEEC, Saber dizer “não” de forma construtiva.
  • Formular pedidos.
  • Dar e receber feedback.
  • Lidar com a crítica.
  • Opiniões positivas: O feedback Sandwich.


Identificar e desenvolver competências emocionais

Identificar ferramentas para melhorar o nível de empatia com os outros

Reconhecer técnicas de controlo emocional: Analise transacional

Diferentes tipos de conflito: Fontes de conflito

Conflito enquanto processo

Estilos pessoais de gestão de conflitos – A mediação como estratégia de resolução de conflitos

Conflito como oportunidade de melhoria

22 Leis Fundamentais de Relacionamento das Organizações com o Mercado

Dr. Augusto Silva (Clique para ver CV)

Introdução

Pretende-se despertar os formados para um conjunto regras que, quando consideradas , poderão melhorar substancialmente o relacionamento pessoal, de cliente interno e externo, bem como melhorar a definição da estratégia das organizações.

Objetivos

No fim do seminário, os formandos serão capazes de entender um conjunto de leis fundamentais, que determinam muito do sucesso da criação de relacionamentos eficazes entre organizações e seus clientes (internos e externos).

Programa
  1. A Lei da Liderança;
  2. A Lei da Categoria;
  3. A Lei da Mente;
  4. A Lei da Perceção;
  5. A Lei do Foco;
  6. A Lei da Exclusividade;
  7. A Lei da Escada;
  8. A Lei da Dualidade;
  9. A Lei do oposto;
  10. A Lei da Divisão;
  11. A Lei da Perspetiva;
  12. A Lei da Extensão de Linha;
  13. A Lei do Sacrifício;
  14. A Lei de Atributos;
  15. A Lei da Sinceridade;
  16. A Lei da Singularidade;
  17. A Lei da Imprevisibilidade;
  18. A Lei do Sucesso;
  19. A Lei do Fracasso;
  20. A Lei do Alarde;
  21. A Lei da Aceleração;
  22. A Lei de Recursos.

Teoria das Restrições (TOC – Theory of Constraints)

Eng. Pedro Rompante (Clique para ver CV)

Introdução

Todos os gestores desejam a fábrica perfeita, onde os fornecedores não falhem as entregas, nem qualidade dos serviços prestados. Desejam também que os seus colaboradores não tenham absentismo e que cumpram (ou excedam) as expectativas. Desejam que o seu departamento de Manutenção garanta disponibilidades de equipamentos acima dos 90%, de modo a satisfazer uma clientela ávida e cada vez mais numerosa.

Mesmo seguindo as melhores práticas, muitos gestores confrontam-se com uma dura realidade – mesmo trabalhando como os melhores, os stocks amontoam-se, as encomendas não são entregues a tempo e horas aos clientes.

Eli Goldratt, no início dos anos 1980, criou a Teoria das Restrições (Theory of Constraints) que é, ainda hoje, uma visão revolucionária na Gestão de Operações. O princípio básico da Teoria das Restrições é que devemos gerir os bottlenecks das nossas fábricas, com a preocupação constante em manter fluxo de trabalho, mas não os stocks. Esta abordagem torna clara a gestão de muitas fábricas e serviços, e permite tornar a gestão viável.

Objetivos

No fim do Seminário, os Formandos serão capazes de:

  • Compreender as linhas gerias da Teoria das Restrições;
  • Ganhar sensibilidade para a gestão de fluxos, em detrimento dos stocks;
  • Compreender como podem aplicar esta metodologia ao seu dia-a-dia.
Programa
  1. Compreender a natureza dos problemas nas nossas fábricas;
  2. Compreender a metodologia e os seus princípios básicos;
  3. Ganhar sensibilidade para aplicar a metodologia.