Menu
37 ANOS
AO SERVIÇO DA FORMAÇÃO

CURSO LABORAL

Ventilação em Hospitais e outras Unidades de Saúde

INTRODUÇÃO

A ventilação inadequada em ambientes hospitalares pode pôr os trabalhadores de saúde em risco de contrair tuberculose, segundo estudo realizado em 17 hospitais canadenses.
 
Entre os quase 1.300 funcionários de hospital, os que trabalhavam em alas com ventilação inadequada foram quase 3,5 vezes mais propensos que os demais a apresentar exames positivos para tuberculose. Os trabalhadores, porém, não tinham sinais de tuberculose ativa.
 
O trabalho dos pesquisadores chefiados por Dick Menzies do Montreal Chest Institute, em Quebec (Canadá), foi publicado na edição de 21 de novembro do Annals of Internal Medicine.
 
A tuberculose é uma infecção transmitida pelo do ar e afeta basicamente os pulmões. Como os funcionários de hospital têm um risco de infecção maior que a média, a ventilação apropriada das diversas alas é importante para controlar a disseminação da tuberculose. Depois de vários surtos hospitalares da doença no início dos anos 90, surgiram novas recomendações exigindo um controle mais rigoroso da infecção.
 
A equipe de Menzies procurou determinar a importância do sistema de ventilação na transmissão hospitalar de tuberculose.
 
Os pesquisadores verificaram que uma ventilação insuficiente nos quartos dos pacientes estava diretamente relacionada ao risco de tuberculose entre os trabalhadores. Algumas outras funções também tiveram alto risco. Terapeutas respiratórios, pessoal de enfermagem, fisioterapeutas e equipes de limpeza foram mais propensos que outros trabalhadores a ter teste positivo para a doença.
 
Os programas de controle de infecção hospitalar deveriam garantir que os quartos dos pacientes fossem bem ventilados e que fossem realizados cutâneos para tuberculose regularmente nos trabalhadores, concluíram os autores.

OBJETIVOS

No fim do Curso, os Formandos serão capazes de:
 
  • Distinguir os diferentes processos de ventilação; ventilação ambiente e localizada
  • Ter conhecimento do valor mínimo de renovação de ar por espaço, em função da sua utilização e do tipo de fontes poluentes nele existente.
  • Seleccionar o ventilador adequado em função dos critérios de selecção, tais como;
         - O tipo de local
         - A classe de fluido a transportar e as suas características
         - A configuração da instalação
         - Caudal e pressão, necessários
         - Nível acústico admissível.
         - Tipo de alimentação
 
  • Ter noção do conceito de “varrimento do local”
  • Ter noção de captação localizada
  • Detectar os erros mais comuns nas renovações de ambientes
  • Efectuar cálculos simplificados de instalações tipo.

PROGRAMA

1. Noções Gerais
 
   1.1. Constituição do ar
   1.2. Factores de viciação
   1.3. Condições a realizar nos locais de permanência de pessoas
 
2. Tipos de ventilação
 
   2.1. Ventilação Ambiente
   2.2. Ventilação Localizada
 
3. Processos de ventilação
 
   3.1. Ventilação Natural
          - Factores que influem na ventilação natural
          - Vantagens e inconvenientes da ventilação natural
 
   3.2. Ventilação Artificial
          - Ventilação diferencial
          - Ventilação mecânica
          - Ventilação adiabática
 
4. Partes principais de uma instalação de ventilação
 
          - Tomada de ar
          - Câmara de poeiras
          - Filtros (finalidade, classificação e características)
          - Ventiladores (finalidade, classificação, curvas características, fixação, etc.)
 
5. Funcionamento da instalação
 
   5.1 Critérios de selecção do ventilador:
          - Do tipo de local
          - Das características do fluido a transportar
          - Da configuração da instalação
          - Do caudal e pressão necessários
          - Do nível acústico admissível
          - Do tipo de alimentação eléctrica
 
   5.2 Redes de distribuição;
          - Seu traçado
          - Dimensionamento das condutas
          - Disposição das bocas de introdução e de evacuação do ar
          - Regulação e controlo
 
6. Erros mais comuns nas instalações de ventilação
 
          - Inexistência de entrada de ar ou entrada de ar insuficiente
          - Aberturas das entradas das saídas de ar muito próximas "curtos circuitos"
          - Incorrecta colocação das entradas em relação às saídas (criação de zonas mortas)
          - Colocação de obstáculos à frente dos extractores ou das entradas.

INTERESSA A

  • Projectistas com funções em gabinetes de projectos nas áreas do AVAC destinadas a instalações hospitalares, outras unidades de Saúde e empresas afins;
  • Responsáveis pela manutenção dos equipamentos de AVAC em hospitais, outras unidades de Saúde e empresas afins;
  • Quadros responsáveis da manutenção das instalações industriais nos hospitais, outras unidades de Saúde e empresas afins;
  • Todos os Interessados em aprofundar conhecimentos neste tema.

MÉTODOS PEDAGÓGICOS

Durante a exposição serão referidos sempre que possível casos práticos específicos das diferentes situações.

Partilhe esta informação:

PEDIR MAIS INFORMAÇÃO
2016 © Cenertec - Centro de Energia e Tecnologia
Developed by Inovlancer