Menu
37 ANOS
AO SERVIÇO DA FORMAÇÃO

CURSO PÓS-LABORAL

Prevenção e Controlo da Legionella em Sistemas de Água - Análise de Risco 17ª Edição

Revista de acordo com a Lei 52/2018, inclui procedimentos de Análise de Risco e elaboração de Planos de Prevenção e Controlo

Porto | Gaia, 22, 23 e 29 de Março de 2019

INTRODUÇÃO

Inclui requisitos da Lei n.º 52/2018 a qual estabelece o regime de prevenção e controlo da doença dos legionários e procede à quinta alteração do Decreto-Lei n.º 118/2013.

Inclui procedimentos de análise de riscos e ações corretivas em função do Índice Global da Instalação e elaboração de Planos de Prevenção e Controlo.
 
As bactérias do género Legionella encontram-se em ambientes aquáticos naturais e artificiais, em redes prediais de água quente e fria, sistemas de água para uso recreativo, sistemas de arrefecimento coletivo e individual, bem como noutros sistemas de água. A exposição a esta bactéria pode provocar uma infeção respiratória denominada doença dos Legionários, uma forma de pneumonia potencialmente fatal. A transmissão ocorre por inalação de gotículas ou aerossóis de água contaminada que veiculam a bactéria para os pulmões, onde vai provocar infeção.
O modo de controlar este microrganismo é dado a conhecer através do Guia “Prevenção e Controlo de Legionella nos Sistemas de Água” do Instituto Português da Qualidade, das Normas e Orientações da Direção Geral de Saúde e da Lei n.º 52/2018, a qual estabelece o regime de prevenção e controlo da doença dos legionários, procede à quinta alteração do Decreto-Lei n.º 118/2013, e determina a obrigatoriedade de elaboração de um Plano de Prevenção e Controlo, o qual deverá ser baseado numa Análise de Risco.
O risco associado a cada sistema de água concreto é variável e depende de múltiplos fatores específicos, relacionados com a instalação, tipo de utilização, estado de conservação, etc.
A análise desse risco inclui assim fatores estruturais, associados às características próprias da instalação; fatores de manutenção, associados ao tratamento e manutenção; fatores de operação associados à operação da instalação.
O modo de efetuar a Análise de Risco é transmitido através, do Guia Técnico para a Prevenção e Controlo da Legionelose em Instalações objeto do âmbito de aplicação do Real Decreto 865/2003, da norma Espanhola UNE 100030:2017 “Prevención y control de la proliferación y diseminación de Legionella en instalaciones”, e da norma Americana ASHRAE 188-2015 “Legionellosis: Risk Management for Building Water Systems”.

OBJETIVOS

  • Alertar para a problemática da contaminação de sistemas de água por Legionella, dando a conhecer os requisitos normativos e legais.
  • Dotar os participantes com conhecimentos para identificação dos principais riscos associados à presença de Legionella em sistemas de água, fontes de contaminação e métodos de controlo, mediante a adoção de medidas higieno-sanitárias, nomeadamente através da Análise de Risco, e adoção de ações corretivas em função do Índice Global da Instalação.

PROGRAMA

1. Bactérias do género Legionella
2. Meio ambiente e fatores que amplificam a disseminação
3. Riscos para a Saúde Pública
4. Requisitos normativos e legais
5. Monitorização microbiológica de circuitos de água - Amostragem e Análise
6. Tratamento e desinfeção da água
7. Manutenção, limpeza e desinfeção de sistemas e equipamentos
  • Redes prediais de água quente e fria.
  • Sistemas de água para uso recreativo: piscinas e banheiras.
  • Sistemas de arrefecimento coletivo: torres de arrefecimento, condensadores evaporativos, humidificadores e sistemas de ar condicionado.
  • Sistemas de arrefecimento individual: ar condicionado/split e de arrefecimento por evaporação de pequena dimensão.
  • Outros sistemas: sistemas de combate a incêndios, chuveiros e lava-olhos, sistemas de rega por aspersão, fontes ornamentais, lavagem de veículos, navios, unidades dentárias, sistemas que utilizem água para uso terapêutico, etc.
8. Análise de riscos e ações corretivas em função do Índice Global da Instalação
  • Critérios de Avaliação de Risco
  • Avaliação do Risco Estrutural
  • Avaliação do Risco de Manutenção
  • Avaliação do Risco de Operação
  • Cálculo do Índice Global
  • Ações corretivas em função do Índice Global
9. Elaboração de Planos de Prevenção e Controlo

INTERESSA A

  • Gestores, Responsáveis e Técnicos dos serviços de instalações e equipamentos ligados à manutenção de sistemas de água em entidades públicas e privadas, nomeadamente em unidades industriais, unidades de saúde, indústria hoteleira, piscinas, etc.
  • Gestores e Técnicos na área da Saúde Pública.
  • Todos os interessados em aprofundar o seu conhecimento neste tema.

MÉTODOS PEDAGÓGICOS

Expositivo, Activo e Interactivo com recurso a Multimédia
Visualização de vídeos
Debate e partilha de experiências

MONITORIA

Margarida Valente, Dra.

Licenciada em Bioquímica pela Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, Pós-graduada em Qualidade da Água e Controlo da Poluição pela mesma Universidade, Pós-Graduada em Saúde Ocupacional e Mestre em Saúde Pública pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Atualmente exerce funções de Responsável pelo Planeamento e Amostragem no Laboratório na Águas do Douro e Paiva, S.A., Grupo Águas de Portugal. Foi Supervisora de Laboratório na empresa Águas do Norte, S.A., Responsável de Área de Laboratório, Responsável Técnica de Microbiologia, Biologia e Amostragem na Águas do Douro e Paiva S.A. e Técnica Superior de Laboratório de Microbiologia na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, onde desenvolveu diversos trabalhos de investigação na área da qualidade da água. Formadora Certificada pelo IEFP ministra cursos subordinados aos temas: Acreditação de Laboratórios, Qualidade da Água, Prevenção e Controlo de Legionella em Sistemas de Água, Amostragem, Segurança e Saúde Ocupacional em Laboratórios, Controlo de Infeção Associada aos Cuidados de Saúde, Ambiente e Gestão de Resíduos. Colabora periodicamente com instituições de ensino superior através da apresentação de palestras. Participa regularmente como oradora em seminários, conferências e congressos. É ainda tutora de estágios de licenciatura e orientadora de dissertações de mestrado em múltiplos temas relacionados com a qualidade da água. Em paralelo, desenvolve a atividade de auditora e consultora na área da acreditação e gestão de laboratórios, saúde ocupacional em laboratórios e controlo de qualidade da água, tanto na sua vertente laboratorial como operacional.
 

LOCAL

HOTEL HOLIDAY INN PORTO GAIA
Rua Diogo de Macedo, 220
4400-107 Vila Nova de Gaia
Tel:  223 747 541
Fax: 223 747 576

Junto ao CTT das Devesas

HORÁRIO

Este Curso, com a duração de 12 horas, funcionará, às Sextas e Sábado, nos seguintes dias do mês de Março:

22 -  18:30 - 22:30
23 -  09:00 - 13:00
29 -  18:30 - 22:30

PREÇO

O valor da inscrição é de 380.00 € (+ 23% IVA), valor total de 467.40 €  pagável ao CENERTEC até à data de realização do Curso e inclui: 
 
  • Acesso à Documentação de Apoio 
  • Certificado SIGO
  • Coffee-Breaks
  • Estacionamento gratuito no Hotel

Partilhe esta informação:

Margarida Valente, Dra.

2016 © Cenertec - Centro de Energia e Tecnologia
Developed by Inovlancer